29/01/08

ASSUMIR A PRÓPRIA VIDA


É grande erro ficarmos na dependência do mundo,
esperando que ele resolva nossos problemas,
console-nos na hora do fracasso e trate nossas feridas.
É um grande equívoco permitirmos que os outros determinem nosso valor -
e pior: que a opinião alheia fragilize a confiança que depositamos em nós mesmos.
Nossa liberdade neste mundo começa no dia em que
resolvemos assumir nossa própria vida por inteiro,
sem atribuir a ninguém a responsabilidade por nossas derrotas.
Porque, na verdade, ninguém tem a
obrigação de construir nossos caminhos,
erguer as paredes de nossa casa
Quando decidimos depender apenas de nós,
acrescentamos à nossa capacidade poderes ocultos...
Quem assume por inteiro a própria vida suprime
a obrigação de se curvar, de se humilhar,
de mendigar: quem depende apenas de si não precisa fazer concessões,
pois quem não espera nada não pode temer a perda de coisa alguma.
Quem assume por inteiro a própria vida pode ser,
a qualquer hora e em qualquer lugar,
apenas aquilo que é.
Assumir a própria vida é um ato de coragem, pois implica ser responsável
pelo que de bom ou ruim advir desta decisão.
Por outro lado, como impagável recompensa,
permite-nos dizer o que pensamos a quem quer que seja,
sem ter que baixar a cabeça diante de ninguém.
(Desconheço o autor)

Um comentário:

YU disse...

Amiga, RO, está muito nostálgico, a sessão saudade... com estas músicas romanticas...e é sempre bom recordar...Parabéns estou adorando...
Bjs carinhosamente...
YU